14 dezembro 2017

Helomas vs. Hiperqueratoses - Calos vs. Calosidades

 
Já alguma vez sentiu uma dor intensa no pé? Aquela dor que quando vai olhar para o pé, vê que há ali uma pele mais dura e que é nesse mesmo local que lhe dói, quando calça determinado calçado ou quando anda muito, ou sempre que apoia o pé no chão?

Será calo? Será calosidade? O que será? "Parece calo, mas já o tirei e ele volta a aparecer." "Raspo o pé com pedra pomes ou lixa de pés e mesmo assim isto não desaparece e continuar a doer".

Se estas dúvidas, estes discursos lhe parecem familiares, então este post é para si...

Calos (helomas) e calosidades (hiperqueratoses) são um dos problemas mais comuns que levam as pessoas a consulta de Podologia. Muitas vezes porque já os tiram em calista/pedicures e alguma coisa correu mal, outras porque têm medo de ir a calista/pedicure por alegarem que estas não esterilizam material, outras porque sabem que estes problemas advêm do calçado e postura do pé e não querem apenas remover mas também entender a causa e trata-la.

Então afinal, o que são os Calos e as Calosidades? Como surgem? Têm tratamento? Como evitar?

Os Helomas (mais conhecidos por calos) são lesões hiperqueratósicas que se localizam nas camadas mais profundas da pele sendo mais superficialmente vistas como uma calosidade "simples". São, regra geral, muito dolorosas e podem estão localizadas nos dedos ou na planta do pé. A causa pode derivar do tipo de calçado usado ou de alguma alteração biomecânica do pé (esta leva a más posturas do mesmo), aumentado assim a carga em determinada zona ou a fricção.

As Hiperqueratoses (mais conhecidas por calosidades) são espessamentos da pele mais extensos, sem limites bem definidos, tendo tendência para surgir mais no calcanhar e na zona metatársica. Estas por sua vez, surgem por mau uso do calçado (mais pequeno ou apertado, salto alto, etc.) o que causa fricção ou excesso de pressão. Podem também advir de alterações biomecânicas do pé.

Quanto ao eventual tratamento, este vai depender da causa que o produz. Melhorar o tipo de calçado, diminuir cargas excessivas pode ser uma opção. É necessário uma avaliação para se apurar a causa e agir em conformidade.

Um tratamento possível poderá ser umas ortóteses plantares (palmilhas personalizadas) de modo a melhorar a biomecânica do pé descarregando pressões. Estas são sempre feitas por um podologista após a avaliação e realização de moldes dos pés da pessoa em causa.

Cuide dos seus pés! E não se esqueça, procure sempre ajuda em profissionais qualificados.

A podologista,

Joana Silva

Sem comentários:

Publicar um comentário